Header Ads

Deus se arrepende ou não?


Onipotência, onipresença e onisciência. Os três grandes atributos de Deus. Hoje vou tratar um pouco deste último, a onisciência.

Essa palavra pode ser entendida como um saber absoluto ou o conhecimento infinito sobre todas as coisas. É assim como definem os dicionários. Portanto, um ser que é onisciente tem a capacidade de saber tudo, sobre tudo, em qualquer época (passado, presente e futuro).

Alguém com esse atributo é capaz de tomar decisões sem correr o risco de se arrepender posteriormente. E, pelo que ensinam por aí, Deus tem essa capacidade. Então, é de se esperar que ele nunca se arrependa de suas ações.

De acordo com Moisés (pelo menos é como se prega), no livro de Números 23, versículo 19:

Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?

Perfeito! Se está escrito na Bíblia, deve ser verdade.

Porém, não é bem assim. Moisés parece que se esqueceu do que havia escrito em Gênesis 6, versículo 6:

Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.

Podem ainda ser citadas outras duas passagens que afirmam que Deus se arrependeu. Ambas são encontradas no capítulo 15 do livro de  Samuel I, nos versículos 11 e 35:

Arrependo-me de haver posto a Saul como rei; porquanto deixou de me seguir, e não cumpriu as minhas palavras. Então Samuel se contristou, e clamou ao Senhor a noite toda.
Ora, Samuel nunca mais viu a Saul até o dia da sua morte, mas Samuel teve dó de Saul. E o Senhor se arrependeu de haver posto a Saul rei sobre Israel.

Pelo que se vê das passagens citadas, Deus se arrependeu algumas vezes. Assim, seguindo o raciocínio de Números 23:19, Deus é sim bem humano.

E se Deus se arrepende de suas ações, como fica a sua onisciência?

Pelo jeito Deus sabe muito menos do que imagina.

Nenhum comentário